Frei Jaboatão

O Patrono da ALJG

O nome escolhido para patrono da Academia de Letras de Jaboatão dos Guararapes foi definido no dia 19 de Dezembro de 2012, em reunião geral com a Comissão Executiva e demais futuros membros da ALJG.

Após uma acirrada votação entre os participantes, o grupo chegou ao nome definitivo para o patrono: Frei Antônio de Santa Maria Jaboatão.

frei

O Frei Antonio de Santa Maria Jaboatão, um dos nossos primeiros historiadores, morreu em Salvador no dia 7 de julho de 1779. Brasileiro, nasceu em Santo Amaro do Jaboatão, 1695 – Recife. Frade franciscano, professou fé, em 12 de dezembro de 1717, ordenando-se em 1725 no convento de Santo Antonio do Paraguaçu, em Salvador na Bahia. Depois voltou a Pernambuco. Ocupou vários cargos dentro da ordem franciscana. Foi um genealogista, historiador, orador, poeta e cronista brasileiro. Sua principal obra é o Novo Orbe Seráfico Brasílico também chamado de Crônica dos Frades Menores da Província do Brasil (1761). Deixou outras obras, algumas inéditas. Entre as publicadas, (sempre em Lisboa) estão: Discurso histórico, geográfico, genealógico, político e encomiástico, recitado em a nova celebridade, que dedicaram os pardos de Pernambuco ao santo da sua cor o B. Gonçalo Garcia (1751); Sermão de Santo Antonio, em o dia do Corpo de Deus, Lisboa (1751); Sermão de S. Pedro Martyr, pregado na matriz do Corpo Santo do Recife, Lisboa (1751); “Jaboatão Místico” (coletânea de sermões) (1761); “Catálogo Genealógico das Famílias Brasileiras” (1768).

Fonte: Dicionário brasileiro de datas históricas, ed. José Teixeira de Oliveira, ed. Vozes:2002, Petrópolis.

Anúncios